Shop the latest photo from threadingsew on Etsy

image

All you need is love & a cat http://etsy.me/1TS4u4r#cat #catlover #xstitch #aida14ct #love #embroidery #pontocruz #grafico #puntodecruz #etsyshop #threadingsew

Advertisements
Posted in Uncategorized | Leave a comment

Segundo pesquisadora, Jane Austen era horrível em ortografia

A escritora inglesa Jane Austen (1775-1817), autora de Orgulho e preconceito, conhecia tão mal a gramática e a ortografia que suas obras precisavam ser reescritas por um revisor, revelou neste sábado (23) uma especialista da Universidade de Oxford.

“Geralmente considera-se que Jane Austen tinha um estilo perfeito. Seu irmão Henry pronunciou em 1818 uma frase que passou a ser célebre, ‘tudo sai perfeito de sua pena’, e os comentaristas seguem compartilhando essa opinião”, declarou Kathryn Sutherland, professora da Universidade de Oxford.

“Entretanto, ao reler seus manuscritos, aparece rapidamente a evidência de que não há neles tal precisão”, acrescentou Sutherland, que estudou 1.100 páginas não publicadas da escritora.

“Os manuscritos não publicados de Jane Austen acabam com a reputação da perfeição da escritora de várias formas: há manchas, rasuras, desordem. Pode-se ver a criação se formar neles e, no caso de Jane Austen, descobre-se uma maneira antigramatical de escrever” que contrasta com o estilo polido de suas obras publicadas.

“Isto nos faz pensar que outra pessoa esteve fortemente envolvida no processo de edição entre o manuscrito e o livro impresso”, afirma a especialista, explicando que provavelmente essa pessoa foi o editor e revisor William Gifford.

Notícia Publicada no Jornal do Brasil
23.10.2010

Antes de formar sua opinião…

Recomendo Leitura adicional de : Jane Austen não sabia escrever? – Jane Austen Sociedade do Brasil

Posted in Notícias | Tagged , , | 1 Comment

Dia de Falar como Jane Austen

30 de Outubro

Dia de Falar como Jane Austen
(Talk Like Jane Austen Day)


Fale como a Jane Austen foi criado em comemoração ao 199 aniversário  da publicação de Razão e Sensibilidade,  pelo Site Talk Like Jane Austen.

As Dicas que o site (em inglês) dá para participarmos são:
Ir para uma longa caminhada, visitar amigos, e falar como Jane Austen…

Apesar de não ser o primeiro romance que ela escreveu, Razão e Sensibilidade foi a primeira obra de Jane Austen publicada. Ela inicialmente chamou a de Elinor e Marianne, e escreveu-a em um modo epistolar, mas reescreveu-a em formato de novela.

Jane Austen publicou quatro romances em sua vida: Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito, Mansfield Park e Emma. Mais dois romances foram publicados postumamente, Persuasão e Northanger Abbey.

Como Falar Como Jane Austen

Dê preferência às palavras em negrito:

Amável, aprazível, agradável, bem disposto
“Eu gosto muito dele. Ele me dá a idéia de um homem muito amável, apenas muito tímido para ser tão agradável quanto poderia ser. ”

Anacronismo
Se alguém fizer um comentário depreciativo relacionado à sua verborragia anacrônica, você pode fingir confusão, pois a palavra Anacronismo não aparece na mídia impressa até 1816.

(to) Catch One’s Eye (Atrair ou Capturar a atenção de Alguém, em inglês)
Uma frase atribuída à Jane Austen em 1813.

Coddle (do inglês) Acarinhar
primeiro impresso em Emma em 1815

Outras dicas úteis

Consulte sempre seus familiares mais próximos como “meu” pai, mãe, irmão, irmã, mesmo quando você esteja falando com um deles.

Por exemplo, Jane poderia falar com Elizabeth dizendo: “Minha mãe esteve nervosa o dia inteiro.” (Enquanto nós contemporâneos falantes de Inglês seria mais provável dizer provavelmente diremos “nossa” mãe. )

Em Inglês, nada de contrações: “Don’t you think this an agreeable morning for a walk?”  ela usaria “Do not you think this an agreeable morning for a walk?”

Lembre-se que para Austen, “manhã” continua até que alguém vá se vestir para o jantar. “Tarde” é raro (freqüência muito baixa) nos romances. Em Emma, “manhã” ocorre 111 vezes, enquanto “tarde” ocorre apenas 6. Muitas vezes, “tarde” faz referência ao tempo, “está tarde”.

(Dicas extraídas de http://www.talklikejaneausten.com/talklikejaneaustenday.html )

E por final, minha mamãe Rosalia pediu para colocar as palavras : Excellent e

Indeed

  1. advérbio
    1. realmente
    2. de fato
    3. na verdade
    4. certamente
    5. deveras
    6. entretanto
  2. interjeição
    1. realmente
    2. naturalmente
    3. não é possível

A minha adição para a lista de palavras é Vexing

  1. adjetivo
    1. vexatório
    2. incomodo
    3. enfadonho
    4. aborrecido

Que outras expressões vocês adicionariam nessa lista?

Aline Martins

Posted in Datas Comemorativas | Tagged | 4 Comments

Librivox – Audiolivros

Title page. Austen, Jane. Pride and Prejudice....

Image via Wikipedia

Como todos sabem, depois de um tempo de publicadas, as obras escritas viram de dominio público. E isso fez com que algo muito bom fosse criado.

O Libri Vox

Onde voluntários gravam com sua voz os capitulos dos livros e publicam como arquivos de áudio gratuitos na internet, que podem ser baixados para ser computador, ou sincronizados como podcast em seu ipod.

Isso tudo em várias línguas, incluindo Português. Mas como o projeto ainda não foi muito difundido aqui no Brasil. Infelizmente, só temos os audios da Jane Austen em outras línguas por enquanto.

Mas vale a pena dar uma procurada.

Aqui vão algumas dicas (Inglês):

Sense and Sensibility
Pride and Prejudice
Persuasion
Emma
Northanger Abbey
Mansfield Park

Procurem pois talvez vocês achem em Espanhol, ou outra lingua que tenham facilidade.

Agora o convite… alguém se arriscaria a fazer a primeira gravação em Português? Eu penso seriamente em fazer uns deles no começo de 2011. Que acham?

Posted in AudioLivros, Bibliografia | Tagged , | 4 Comments

Quando me apaixonei…

Dizem que uma imagem fala mais que mil palavras… (e como não sou tão boa quanto Miss Austen com as palavras). Aqui está a imagem de como minha quedinha por ela virou verdadeira paixão.

Eu em  Royal Crescent, onde Austen morou – Bath – Inglaterra- 2002.

E você, como se apaixonou por suas obras?

Fatos:

Em dezembro de 1800, Rev. Austen inesperadamente anunciou sua decisão de se aposentar do ministério, deixando Steventon, e mudando-se com sua família para Bath. Enquanto as mudanças e as viagens foram boas para o Austens mais velhos, Jane Austen ficou chocada ao ser informada que ela estava saindo da única casa que chamou de lar até então . A indicação do estado meltal de Austen  é a sua falta de produtividade como escritora durante o tempo em que viveu em Bath. Porém lá, ela realizou revisões de Susan, e ela começou e abandonou um novo romance, The Watsons, mas não havia nada como a produtividade dos anos de 1795-1799. Tomalin sugere que esta reflete uma profunda depressão, mas Honan discorda, argumentando que Austen escreveu seus manuscritos ao longo de sua vida criativa, exceto nos poucos meses depois que seu pai morreu.

^ Le Faye, “Chronology”, 6–8; Fergus, “Biography”, 8; Sutherland, 15, 20–22; Tomalin, 168–75; Honan, 215. Doody agrees with Tomalin. Margaret Anne Doody, “Jane Austen, that disconcerting child” in Alexander and McMaster, The Child Writer, 105

Posted in História, Impressões Pessoais | Tagged , , | 2 Comments

Convite de Leitura: Elizabeth Gaskell – Cranford

Como diz o tema deste blog (O mundo de Jane Austen e Outros), de tempos em tempos, falarei de autores, tanto contemporâneos de Austen, quanto de outros períodos da Literatura Inglesa, que possam lhe interessar.

Um desses autores é Elizabeth Gaskell.

Elizabeth Cleghorn Gaskell,  Stevenson (29 de setembro de 1810 – 12 de Novembro de 1865), muitas vezes referida apenas como a Sra. Gaskell, foi uma escritora britânica e contista, durante a era vitoriana. Seus romances oferecem um retrato detalhado das vidas de muitos estratos da sociedade, incluindo os muito pobres, e como tal são de interesse para os historiadores sociais, bem como os amantes da literatura.

Através da Adriana Zardini do Jane Austen Sociedade do Brasil , fiquei sabendo de uma proposta de leitura e Blogagem coletiva sobre a obra Cranford, da Sra. Gaskell, porposta pelo Elizabeth Gaskell Blog.

Vamos ler? Como funciona…

Katherine Blog da Elizabeth Gaskell
solicita o prazer da sua companhia quando visitamos a cidade querida de Cranford a cada terça-feira a partir de 09 de novembro até 14 de dezembro

De 9 de novembro até 14 de dezembro
Em 9 de novembro: escrever um post sobre Cranford
Em 16 de novembro todos os participantes deverão ter lido os capítulos 1 a 3, e se quiserem escrever um post com um resumo, opiniões e trechos que mais gostou.
– e continuará assim até que terminemos a leitura do livro, sendo que para cada data temos um conjunto de tópicos que podem ser abordados, que nos serve como um guia.

Conforme Adriana Zardini, para quem não conhece a obra de Gaskel, pode ser uma ótima oportunidade para ler um dos livros da autora. Porém, aqui no Brasil, não há edições disponíveis em português, só se você encontrar uma raridade nos sebos.

Que acham? Vamos ler?

Aline Martins

Agradecimento especial à Jane Austen Sociedade do Brasil

 

Posted in Outros Autores | Tagged , | 8 Comments

Jane Austen – O Início

Jane Austen, Watercolour and pencil portrait b...

Jane Austen, Aquarela de sua irmã Cassandra

Jane Austen nasceu em 16 de dezembro de 1775 em Steventon, Hampshire, Inglaterra. Sétima criança (de oito), segunda filha (de duas), do reverendo George Austen, 1731-1805 (reitor local, e clérigo da Church of England), e sua esposa Cassandra, 1739-1827 (née Leigh). Seu pai tinha um rendimento bastante respeitável de cerca de £ 600 por ano, complementado por aulas, alunos esses que vieram viver com ele, mas os Austen estavam longe de ser ricos (especialmente com oito filhos).

Um leitor questionou se a infância da personagem Catherine Morland no romance de Jane Austen Abadia de Northanger pode não refletir sua própria infância, pelo menos em parte – Catherine diverte-se rolando pela encosta verde na parte de trás da casa e prefere cricket e beisebol à brincar com meninas.

Em 1783, Jane e sua irmã Cassandra foram tutoradas pela Sra. Cawley (a irmã de um dos seus tios), e viveram primeiro em Oxford e, em seguida, Southampton. Elas foram levadas para casa, depois que uma doença infecciosa eclodiu em Southampton. Em 1785-1786 Jane e Cassandra foram para o internato  na Abadia de Reading, que aparentemente mostrava certa semelhança com a escola da Sra. Goddard em Emma. (Jane era considerada jovem demais para se beneficiar da escola, mas dizem que sua mãe afirmou que “se a cabeça de Cassandra fosse ser cortada, Jane teria a dela cortada também.”) Essa foi toda a educação de Jane Austen fora de sua família. Dentro de sua família, as duas meninas aprenderam desenho, a tocar piano, bordar etc.

Jane Austen realizou uma quantidade razoável de leitura, tanto mais séria, quanto literatura popular (seu pai tinha uma biblioteca de 500 livros em1801, e ela escreveu que ela e sua família eram “grandes leitores de romance, e não tinham vergonha disso”). Fazendo com que mais tarde ela se empenhasse em seus próprios romances.

Em 1782 e 1784, várias peças foram representadas pela família Austen na reitoria de Steventon, e em 1787-1788 produções mais elaboradas foram realizadas ali, sob a influência sofisticada da prima de Jane, Eliza (a quem Love and Freindship é dedicado) . Isto lança uma luz interessante sobre a desaprovação aparente de Jane Austen pelo teatro amador em seu romance Mansfield Park (embora Mansfield Park foi escrito mais de vinte anos depois, em um clima moral mais perto da era vitoriana.

Jane Austen escreveu Juvenilia entre 1787-1793, que incluem muitas paródias humorísticas da literatura da época, como Love and Freindship, em três volumes manuscritos. Eles foram originalmente escritos para a diversão de sua família, e a maioria das peças são dedicadas a um ou outro dos seus parentes ou amigos da família.

As versões anteriores dos romances finalmente publicados como Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito e Abadia de Northanger só começaram a ser escritos entre 1795-1799 (no início deste período, os títulos das obras eram Elinor e Marianne, First Impressions, e Susan, respectivamente). Lady Susan também foi provavelmente escrito durante esse período. Em 1797, First Impressions / Orgulho e Preconceito foi oferecido para uma editora pelo pai de Jane Austen, mas a editora não quis nem olhar para o manuscrito.

Posted in História | Tagged , , | Leave a comment

Aceita um Chá?

House of Jane Austen, Chawton, Hampshire

Chawton House- Hampshire- Inglaterra

A romancista Jane Austen é conhecida mundialmente por seus livros que descrevem a sociedade da Inglaterra pré-industrial. Ela passou os últimos oito anos de sua vida na Chawton House, uma casa do século 17.

Nesta mesma casa, ela desenvolveu grande parte de sua escrita madura

Foram revisados nesta casa: Orgulho e Preconceito, Razão e Sensibilidade e Abadia de Northanger.
Foram escrito inteiramente nesta casa: Mansfield Park, Emma, Persuasão.

Por isso escolhi, Chá em Chawton, como nome do blog, para que todos sintam-se à vontade para, juntamente com uma xícara de chá, compartilhar idéias e se inspirar!

Bem Vindos!

Aline Martins

Posted in Chawton, História | Tagged , , | 2 Comments